Siga por e-mail

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A incrível história do volante do Charger R/T 72 verde igarapé ...

Caros,

No meu primeiro livro conto a história de um Dodge Charger R/T 72 que eu restaurei ... Quando o comprei ele estava pintado de azul com a bandeira americana no paralamas dianteiro ...

Charger R/T 72 ...

... verde igarapé 

Antes da restauração, o verdadeiro Capitão América !


Bem, comprei este carro em Janeiro de 2006, coloquei ele logo para restauração e em 2008 ele estava pronto ... Em Março de 2009 ele estampava a capa do meu livro Dodge - História de uma Coleção.

O tempo passou, vários carros foram restaurados, outros vieram, outros se foram ... E o R/T 72 lá no Museu ...

Até que no evento de Águas de Lindóia de 2011, um cidadão me procurou no gramado ... Era o Reinaldo Arias ... O Reinaldo, fiquei sabendo então, foi dono do Charger R/T 72 Capitão América de 1978 a 1994 !!!! O carro foi dele por 16 anos !!!

Vamos à história:

Em 1978 o Reinaldo ganhou o carro do pai ... Na época, e com apenas 6 anos de uso, o carro estava pintado de prata e transformado em modelo 1975. Com certeza alguém deu uma atualizada nele.

Uma das primeiras coisas que o Reinaldo fez foi trocar o volante Wal Rod original por um pequeno volante Panther, tão em moda na época ... 

Quando ele vendeu o carro, 16 anos depois, o comprador optou por pintar o carro de azul. Tomou uma batida no paralama dianteiro e não conseguia acertar o tom para retoque ... Optou então por pintar a bandeira americana no local ....

Na época, há um ano e pouco atrás, fiz amizade com o Reinaldo. E pouco tempo ele me conseguiu vasto material fotográfico sobre as fases do carro e colheu depoimento dos donos que o sucederam. Esse riquíssimo material será utilizado numa futura reedição ampliada do meu primeiro livro.

Eis que sexta feira passada fui cedo para o Mopar Nationals, em Atibaia. Mal cheguei no hotel meu telfone toca. Era o Reinaldo. Me perguntou se eu estaria lá no dia seguinte pois ele iria levar uma coisa para mim ...  

A coisa era simplesmente o volante original, que saiu de fábrica, no meu R/T 72 verde igarapé !!!!!!!

Em 1978, quando ele colocou o volantinho Panther, ele guardou o WalRod na casa da mãe, por onde ficou guardado por longos 34 anos !!!!!!!!

Confesso que, no dia seguinte, ao pegar o volante nas mãos, me deu até certa tremedeira .... Fizemos a foto abaixo:

Eu, o Reinaldo, o volante, o carro que o volante equipou em 1972 estampado na capa do livro ...

Coisa de maluco, não ???

Obviamente, numa próxima ida ao Museu, este volante voltará para o carro. E o volante que nele está ficará disponibilizado para um próximo projeto ....

Voltando ao Mopar Nationals, gostaria de parabenizar o Chrysler Clube pela organização do evento ... Sem dúvida foi o melhor até agora !!  Muitos carros bons, muitos amigos, só coisas boas ....

Lá tive a oportunidade de andar pela primeira vez no Charger R/T 71 vermelho xavante recém adquirido em Campinas ... O carro passou por uma revisão e encarou 603 km de estrada muito bem, soltando a segunda marcha, queimando um pouco de óleo, mas muito, muito valente !!!

Charger R/T 71 vermelho xavante, Linneu, Guguzinho Leno e eu ao volante ...

Depois de tanta emoção, volante do R/T 72, passei de R/T 71, precisei voltar no sábado no início da tarde ...

Eis que ontem dei uma passada na oficina para acompanhar as obras e o primeiro carro que me aguardava era o Charger R/T 72 vermelho xavante, que está quase pronto ....


Eis que algo me chama a atenção pendurado na parede ... Quem ??? Ele ... O volantinho Panther que passou cerca de 30 anos no Charger R/T 72 verde igarapé ... 

Eu pensava que tinha jogado ele fora, mas lá estava ele pendurado na parede ... Depois desta história maluca do volante original do carro, acabei criando um carinho por ele, e vou guardá-lo decentemente ...  


Abraços,

Badolato

4 comentários:

  1. pude acompanhar a foto e a história no Mopar Nationals, ja que estava ao lado esperando para receber autografos nos meus livros do Museu... muito interessante mesmo...
    abraço

    ResponderExcluir
  2. Que barato essa história! Agora, as coincidências são mais possíveis quando se é proprietário de boa parte dos Dodges sobreviventes...

    Se eu fosse você, enviaria o volante Panther para o meu xará ex-proprietário do carro junto com um exemplar do livro.

    Abração.

    Reinaldo
    http://reiv8.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nossa, como as coisas dão voltas e acabam se reencontrando. Eu já disse antes e vou voltar a dizer: este pra mim é o Charger nacional mais bonito.

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Cara, deu vontade de chorar, de verdade. Uma pena que não nos falamos lá no MoNa. Postei meu registro no V8NFUN.blogspot.com
    Um avrasss

    ResponderExcluir