Siga por e-mail

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Valiant Charger E49 - O monstro australiano

Caros,

Sempre procurando pelos mais curiosos representantes do Universo Mopar, acabei adquirindo o Valiant VG 1970 que mostrei há alguns posts atrás ....

Fiz até um vídeo do carro:

http://www.youtube.com/watch?v=iQZQadSPUHE

Tanto no vídeo como no post eu falo do Valiant Charger E49, carro equipado com uma versão do Hemi-6 que saia de fábrica com 302 hp e fazia o quarto de milha em 14.4 segundos, deixando para trás muito big block americano da época ...

Várias pessoas me questionaram sobre este Charger ... Queria saber se era a mesma carroceria do americano, ou se era uma versão do Dart como no Brasil ...

Vamos a ele então:

Valiant Charger E49 1972

O carro é um A-body, como o Valiant VG, mas com uma traseira meio fast back ... Os australianos fizeram com o Valiant VG o mesmo que os americanos fizeram com o Plymouth Duster e Dodge Demon, mas no estilo deles ....

Ao que pese ainda estranhar os faróis quadrados, o carro é lindo !

Mas mais bonito ainda é ele com o capô aberto:

O Hemi-6 na versão 265 6bbl - 302 hp de fábrica

O carro era rápido, ainda é hoje, imagine na época: 0-60 mph em 6.1 segundos e quarto de milha em 14.4. Ah, e mecânico, 4 marchas ....


Se animou ?? Mas não se anime muito não ... Esse carro foi para o Brisbane Summer Auction em 2008 e o valor esperado era em torno de US$ 250.000 !!!! Há 5 anos atrás ....

Abraços,

Badolato



ChargerR/T 80 prata tibet

Caros,

No post de ontem coloquei as fotos do R/T 80 prata tibet prestes a ser pintado. E foi pintado hoje. Seguem as fotos:






Mais um sendo salvo ! Só para lembrar este carros estava em processo de personalização, ia virar sabe-se lá o que ... Encontrado pelo Gugu e agora sendo salvo por nós !

Abraços,

Badolato

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Ampliação do Museu e Atualização de Restaurações

Caros,


Como já disse aqui algumas vezes, e individualmente para um bom número de pessoas que mandaram e-mail para tentar agendar uma visita ao Museu, estamos em processo de ampliação.

O galpão que abrigava a coleção ficou pequeno e se fez necessário partir para uma nova construção. Por conta de limitações orçamentárias, optei por fazer um segundo galpão menor, que abrigará os carros estrangeiros, a princípio, enquanto o galpão principal abrigará a coleção Chrysler do Brasil.

Discuti muito com minha esposa sobre o estilo deste segundo galpão. Não queria fazer uma réplica diminuída do primeiro galpão, mas precisava ser algo que "conversasse" com o antigo. Optei por fazer um galpão inspirado em uma velha fábrica da Móoca, do Matarazzo ... Interessante é que anos atrás eu passei nesta rua da Mooca (raramente ando por aqueles lados) e quando vi a fachada desta fábrica fotografei para um dia servir de inspiração para um galpão. Anos depois acabei usando !



Na verdade puxamos alguns elementos daquela construção, o formato das janelas, as faixas, alguns acabamentos ... E minha esposa veio então com esse projeto, mesclando tijolos à vista com partes rebocadas e pintadas:



A obra está bem adiantada e acredito que fique pronta no primeiro trimestre de 2014. Vai dar um bom alívio em termos de espaço e de organização.


Ao mesmo tempo que erqguemos o segundo galpão, estamos fazendo uma cozinha e um espaço para eventos, com banheiros e infra estrutura para receber visitantes. A idéia é que o visitante possa passar um dia no museu, almoçar por lá e curtir os carros sem pressa.

A cozinha e espaço tem o formato de uma antiga estação de trem, tão comum nesta região do interior do estado de São Paulo.


São muitas idéias mas muita restrição de tempo e recursos para executá-las. Vamos, portanto, fazendo as melhorias aos poucos. O importante é sempre estar evoluindo.

Também está nos planos um galpão dividido em módulos individuais, para disponibilizar para que colecionadores aluguem um módulo e guardem parte de sua coleção. Mas isso é assunto para um outro post.  




Atualização das Restaurações

1) SE 74 amarelo enxofre cítrico

Nesse caso não podemos nem falar em restauração. Foi feito um serviço de preservação num carro que chegou extremamente original, mas extremamente triste e sujo ....


Incialmente passou por uma profunda limpeza. Foi levado ao posto, onde foi lavado várias vezes, até que essa terra vermelha típica do oeste do Paraná saísse.

Do porta malas saiu um enorme ninho de pequeninas aranhas vermelhas ... Assustador ...

Depois de muita limpeza, uma sujeira de tinta nas partes onde a lata já estava exposta, de forma a proteger a chapa e melhorar o visual.

Funilaria mesmo foi no assoalho do porta malas e nos pés das laterais traseira, perto do olho-de-gato, onde já haviam feito um serviço porco no passado.


Lanternas restauradas 

Faixa original de fábrica preservada

Outro visual, não ???

Os parachoques foram cromados e a mecânica revisada

O famoso folder da linha 74 com um SE amarelo cítrico

O resultado foi um carro muito original, bem apresentável. Pode ficar assim para sempre ou, no futuro, ser simplemente desmontado, ter a pintura removida, repintado e remontado para a perfeição. Por hora, por conta de prioridades e até pela incerteza entre mantê-lo o mais original ou o mais perfeito, vai ficar assim !

2) Charger R/T 73 vermelho índio

Esse carro está com a montagem encantada !!! Se não me engano já deve fazer 1 ano que está pintado e em montagem e, como diria o personagem de Reginaldo Faria no filme 'Roberto Carlos a 300 km/h', "Esse R/T não fica pronto nunca ???" ....

É mais ou menos isso, mas esta semana foi colocado o vinil, uma etapa a mais concluída !

Charger R/T 73 vermelho índio


3) Charger R/T 80 prata tibet

Enquanto isso o Charger R/T 80 que está nos Orlandini está pronto para pintura, que deve acontecer em 24-48 horas ....

Cena insólita: um R/T 80 no primeiro plano, um R/T 73 vermelho nascente no meio e um D700 bombeiro no fundo !

Lateral pronta para levar tinta !

Não vejo a hora de tirar estas rodas pavorosas


Mais uma cena bonita: o primeiro R/T olhando o último ....

Bom, por hora é isso !

Abraços,

Badolato



quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Mopars Australianos, HEMI-6 e dirigindo do lado errado ....

Caros,

Já faz algum tempo que tento trazer para o Museu do Dodge alguns especimes interessantes do prolifico Universo Mopar !

Nessa eu trouxe um Dart conversível, um Dart Sedan de 2 portas, o Dart Hang Ten que é o da traseira "meio-Hatch", a pick up A100, entre outros ...

Sempre me interessei pela história dos Dodges argentinos e dos Valiant australianos ... A história dos argentinos fica mais para a frente, mas hoje vou falar dos australianos ....

Tudo porque recentemente uma coleção de Mopars se desfez e eu tive a oportunidade de trazer um deles para o Museu ... Já chego lá ....

A Chrysler sempre teve uma presença importante na Austrália, através da subsidiária Chrysler Austrália, estabelecida em 1951 e, como a Chrysler do Brasil, foi vendida em 1980 com os produtos Chrysler sendo interrompidos em Agosto de 1981 ! Só que enquanto a nossa Chrysler do Brasil foi comprada pela VW, a Chrysler Australia foi comprada pela Mitsubishi (!!!) ... Nos anos 50-60-70 a Austrália vivia como uma miniatura do mercado norte americano, com as big 3 reinando por lá: GM - Ford - Chrysler. Mas, curiosamente, os australianos sempre desenvolveram seus próprios produtos ao invés de simplesmente montar os mesmos modelos americanos. A subsidiária da GM na Austrália, a Holden, produz até hoje os Holden Commodore, que até o ano passado a GM do Brasil vendia aqui como Chevrolet Omega e nos EUA como Pontiac G8 (o coupé como GTO). Quando a GM foi relançar o Camaro ela não tinha nenhuma plataforma com tração traseira nos EUA, então usou a plataforma do Omega australiano como matéria prima para o novo Camaro. um resquício australiano no Camaro atual é a alavanca de freio de mão do lado do passageiro e não do motorista, afinal o omega originalmente tem a direção do lado direito ....

Mas deixando a GM de lado (ufa !) e voltando aos Mopars, o principal produto da Chrysler Australia fora os Valiant. Primeiro ponto: nos EUA Valiant é modelo da Plymouth, na Austrália Valiant é marca ! O carro que vou mostrar aqui neste post é um Valiant VG ... Valiant é a marca, VG é o modelo.

Os Valiant VG foram introduzidos em 1970, usando a carroceria do Dart americano 1969 como base, mas com duas grandes diferenças:

a) frente com faróis retangulares e lanternas embutidas na parte superior dos paralamas dianteiros.

b) motor Hemi 6 ... Isso mesmo, um Hemi 6 cilindros ...


O motor Hemi 6 foi fabricado exclusivamente na Austrália, de 1970 a 1981. Porém nasceu nos Estados Unidos. 

Em 1966 a Chrysler começou o desenvolvimento de um novo motor 6 cilindros para substituir nas linhas de pick ups os modorrentos (mas indestrutíveis) slant-6 . Mas em algum momento desistiram do projeto. 

Tempos depois a Chrysler Australia se interessou pelo projeto e a Chrysler EUA mandou o protótipo para continuar a ser desenvolvido lá. Com um time de apenas 5 engenheiros, a Chrysler Austrália lançou o Hemi-6, na versão 245, exatamente no Valiant VG 1970.

O protótipo do HEMI-6, hoje em um museu na Austrália

O Hemi-6 é um motor OHV com camaras de combustão semi-hemisféricas. E é um motor na posição normal e não deitado como os slant-6. Na sua versão mais mansa, 245 com carburador simples dava 165 hp, o 265 com carburador duplo já ia para os 203 hp enquanto o 265 six-pack que equipou os Valiant Charger saiam de fábrica com 302 hp a 5.600 rpm !!! O Valiant Charger E49 fazia o 1/4 de milha em 14.4 segundos, marca melhor do que a de muito big block americano ! Só para comparação um Hemi RoadRunner, um dos carros mais cobiçado do mundo, fazia o quarto de milha em 13.5 segundos.

Voltando ao Valiant VG, ele estava disponível em 4 carrocerias:

- Hardtop (coupé)
- Sedan
- Wagon
- Ute  (pick up)

Isso mesmo ! A carroceria do "nosso" Dodge Dart teve versões perua e picape de FÁBRICA na Austrália !!!

Sedan

Coupe

Wagon

Ute (pick up)



Bom, deixando a história de lado e voltando aos dias de hoje, eu sempre pesquisei, fucei esses modelos Australianos, mas nunca passou pela minha cabeça ter um. Nem de longe .... Até que a tal coleção de Mopars nos EUA se desfez e um negociante arrematou alguns carros e colocou à venda no Ebay ... Até que eu dei de cara com esse Valiant VG 1970 anunciado:


Carro íntegro e extremamente original !

Linhas lindas !

Traseira conhecida ....


Esse design dos A-body Chrysler me enlouquece até hoje ...

OK, a frente é esquista, admito ! Parece um IBAP Democrata !

Oppppssss ... Alguma coisa errada aí .... Pelo menos para nós ...

Na plaqueta a coincidência: fabricado em Julho/70, mesmo mês e ano que eu nasci ... O carro certamente está em melhor estado do que eu ....

A cereja do bolo: o HEMI-6


Não preciso nem alongar a história ! Fiquei louco no carro, esperei o final do leilão, briguei até o final com outro louco (tem mais um !!!!!) que queria o carro e comprei !

Eis que hoje, 10/10/13 o carro chegou, já à noite:

Em São Paulo

Lanternas em cima dos paralamas ....



Carro muito íntegro, vinil de fábrica imaculado

Os parachoques tem um desenho diferente



Bom, havia chegado a hora da onça beber água .... Sair na rua dirigindo com o volante do lado errado (podia ser político e dizer "do outro lado", mas é do lado errado mesmo !).

A primeira coisa engraçada é ter que selecionar a posição do câmbio automático (na coluna) com a mão esquerda ... Acho que foi a coisa mais complexa que minha mão esquerda já teve que fazer .... rsss ....
A ordem das marchas também é invertida ... Ao invés de P-R-N-D-2-1 é 1-2-D-N-R-P !! Beleza ... Soltei o freio de mão e pronto ... 

A primeira sensação é que a qualquer momento eu vou bater o lado esquerdo do carro em algum carro parado ... Sensação que some após meio quarteirão percorrido. Entro numa avenida à direita e sento o pé no acelerador ... Muito boa a resposta !!! Motor forte, enche rápido. Desempenho, grosso modo, similar ao de um 318 nacional automático. E bem superior ao de um Opala 4100 automático, por exemplo .... Saio da avenida e entro numa rua à direita ... Estou parecendo o Roberto Carlos, só viro à direita ... kkkk ... Passo na frente de uma oficina e todo mundo corre para olhar ... Se tivesse um ET pousando no telhado da casa da frente ninguém teria percebido, tamanha atenção que o carro chama, obviamente por andar por aí sem motorista !!! Pelo menos para os olhos comuns .... Mais duas conversões à direita e volto ao meu ponto de partida, já pegando o jeito .... Já estava na hora de tentar virar a esquerda .... Mas virei à direita de novo ... Acelerei mais, mas tinha uma viatura de polícia parada na calçada e eu não estava a fim de ter que explicar o porque da placa de Victoria e do volante do lado errado. Entrei a direita de novo e voltei ... Foram poucos kiliometros mas muito interessante ! Não vejo a hora de pegar uma estrada ! Ruim vai ser pagar o pedágio !

Abraços,

Badolato






  
PS - Atualização do dia seguinte ... Video : http://youtu.be/iQZQadSPUHE