Siga por e-mail

segunda-feira, 19 de maio de 2014

A polêmica grade do SE 1975

Caros,

Daqui a alguns meses completar-se-ão 40 anos da apresentação da Linha Dodge 1975. Mesmo transcorrido todo esse tempo, ainda aparecem algumas dúvidas, algumas polêmicas ...

Desta vez me refiro à grade do Dodge SE 1975, bem no momento em que estamos finalizando a restauração do exemplar do museu.

Até muito recentemente as únicas imagens de época que tínhamos dos SE 75 eram as do folder de lançamento da Linha 1975 e duas da revista Gran Prix, que mostravam os lançamentos do mercado para 75.

As fotos da revista Gran Prix, todavia, mostrava o carro apenas de lado e de traseira.


Já o catálogo era explícito, mostrava o SE amarelo de frente, com a grade bipartida horizontalmente, exatamente a mesma dos SEs 73 e 74.


Se a foto era explícita, o texto era confuso: na quinta linha lê-se "Agora sua grade está toda preta. com friso envolvente na cor da carroçaria".... Ué ??? Mas ela sempre foi toda preta e com friso envolvente na cor da carroceria !!!

Bom, a grade do SE 75 ser a mesma do SE 74 fazia sentido: Em 73 a Chrysler usava as lanternas do SE 72 no SE 73 ... Ou seja, o SE (que era mais barato do que o Dart básico) tinha que ser "empobrecido" .... E isso ficou como verdade absoluta, até recentemente.

Eis que surgem (inicialmente no livro do Pagotto & Rogério, posteriormente em outra tomada e melhor resolução) fotos do Salão de 1974, apresentando o SE 75 ... Com grade de 75 !


Caramba, que nó ... Pouco antes haviam aparecido fotos de fábrica do SE 75, numa praia, com grade de 74 também ...


São poucas as fotos de época de carros razoavelmente originais. E duvido que apareçam mais muitas fotos de época de carros 0km, afinal foram apenas 95 carros produzidos... 

                          

Difícil dizer o que está certo e o que está errado. Hoje eu diria que tanto com a grade do 74 como com a do 75 está certo.

E nesse meio tempo o Matheus, que teve um SE 75 com grade de 75, fez o primeiro teste de estrada do nosso ressuscitado SE. Montou com a grade de 75, vamos ver se eu me acostumo com ela ....



video


Parece filme de época não ? kkkk

Ainda faltam os bancos, as faixas e mais alguns detalhes. Mas depois de décadas voltou a andar !

Abraços,

Badolato

9 comentários:

  1. É pura especulação minha, mas leva a crer que a ideia inicial era reduzir o custo do SE utilizando estoque de grades antigas. Mas logo após o lançamento, alguém chiou (o depto. de marketing? As concessionárias? Os consumidores?), e decidiram não fazer economia de palitos e adotar a grade nova da linha '75.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tio Lin,

      Como eu aprendi no meu curso de inglês para a Copa: "Go to know .... "

      Traduzindo ... "Vai saber .... " kkkk

      Abração

      Excluir
  2. Essa é mesmo difícil de entender, mas eu ficaria com a tua versão, ou seja, ambas devem ter sido produzidas; acredito que no curso de 1975 a grade tenha sido substituída.
    A baixa produção dificulta comprovar qualquer teoria.

    Abração.

    Reinaldo
    http://reiv8.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. De uma forma ou de outra, será sempre uma joia rara!

    ResponderExcluir
  4. Eu apostaria que a versão exposta no salão não é fiel aos carros de produção...

    ResponderExcluir
  5. Me parece meio obvio, era pra usar do 74, mas acabou o estoque e compensava mais usar as do 75 que estavam a mão de que fazer mais do modelo 74, até pela pouca procura do modelo SE.

    ResponderExcluir
  6. No final da década de noventa teve um S.E 1975 aqui na cidade de DIVINÓPOLIS M.G cuja ás letras da placa era GLX,os números não me recordo, ele era branco com á grade do 75 e ás lanternas traseiras também e os bancos eram preto e vermelho um legitimo S.E, de plaqueta e documentos .

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pelo blog. Fiquei muito feliz em ver uma foto do meu pai em seu blog. Aquela do dodge branco com um senhor ao lado do carro e ao fundo a casa de madeira. Casa que temos até hoje. Esse carro fez parte de nossa família por muito tempo. Gostei muito de ler sobre o dogde e ainda mais de ver uma foto de meu pai ao lado de seu "Dojão".

    ResponderExcluir
  8. Obviamente, nem mesmo a Chrysler tinha rigidez com o controle de qualidade dos carros. Dá pra ver por causa dos Dodges e seus inúmeros detalhes que sempre mudaram ao longo dos anos. Uma grade, uma lanterna, acabamento interno e detalhes mecânicos...
    É tão difícil de entender que eles era um bando de desajeitados?

    ResponderExcluir