Siga por e-mail

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Bancos de SE 74 e R/T 71 boreal ...

Caros,

Como eu digo aos meus amigos mais próximos, para se restaurar Dodge tem que ter paciência de monge chinês ....

A novela da vez são os bancos do SE 74 ...

Recapitulando ...

No começo do ano passado acabei pegando um SE 74 muito íntegro, que parou com pouco mais de 20.000 km ... Porém o carro estava desmontado e precisava ser todo removido e pintado ... OK ... Fizemos tudo isso ...

Porém o comerciante de carros que comprou o carro do primeiro dono para revender, acabou tirando uma das capas de um dos assentos dianteiros do carro para colocar em outro carro igual que ele estava vendendo. E o carro ficou sem essa capas ... A do outro banco estava queimada. Do tal comerciante até as minhas mãos, o carro passou por 3 donos sem que nenhum deles finalizasse a restauração do carro. O segundo destes 3 donos foi o meu amigo Lincoln, que conseguiu um banco 0km de Polara SE para doar as capas para o banco queimado. Já resolveria parte do problema. Parte pois ainda faltaria uma capa de assento, aquela que o comerciante tirou do carro para vender com o outro SE. E também, só descobrimos na hora de montar o banco no tapeceiro, o banco do polara é alguns centímetros mais baixo do que o do Dart. então a faixa quadriculada não chegou até a intersecção com o assento. O resultado final até "passa", mas não é o ideal .... Na foto abaixo dá para entender bem ....


Bom, me lembrei de uma história de tempos atrás. Fiz um negócio, uma troca, com um rapaz do inrerior do Paraná. Ele me deu um Charger R/T 73 todo desmontado e eu dei um Dart Sedan 79 completo e andando para ele. Tempos depois eu comprei o Dart de volta. Nessas idas e vindas ele ficou me devendo o valor da documentação do R/T 73 que teve que ser toda atualizada nos RS ....

Até que um dia ele me propôs uma troca. Ele havia localizado um grande lote de peças de Dodge e neste lote havia, segundo ele, um jogo de bancos de SE 74-75 amarelos !!! Fechamos que em troca do débito ele me daria o jogo de bancos mais um jogo de vidros. 

Só que o tempo passou e nada de ele me mandar as peças. Até que o improvável aconteceu: eu achei, e comprei, um SE 75 amarelo montego ... sem os bancos .... Ou seja, se eu QUERIA os bancos até então, a partir deste momento eu PRECISAVA dos bancos, e muito.

Fui atrás do rapaz para cobrar os bancos e ele veio com a péssima notícia... o dono do lote havia vendido o lote para outra pessoa e os bancos não existiam mais ... Fiquei muito decepcionado e num e-mail ele at;e me passou o contato da pessoa que havia vendido o lote de peças com os bancos, para que eu comprovasse que ele estava sendo honesto .... Nunca liguei ...

Passou bastante tempo, eu atrás de um pedaço de tecido de SE 74-75 branco, me lembrei desta história e resolvi ligar para o ex-dono do lote de peças, no interior de Santa Catarina.

Liguei para ele há uns 15 dias atrás, e fui muito bem atendido, um cara muito gente boa, batemos um bom papo por telefone. E aí já vieram as primeiras divergências em relação à história original: não se tratava de um jogo de bancos completo, mas apenas do banco traseiro. Ah, e não era amarelo, era branco !!!!!!

Se por um lado o meu SE 75 amarelo perdia as esperanças de ter os bancos originais, por outro lado eu resolveria o problema do SE 74 branco !!! Pedi o telefone de quem havia comprado as peças, e o cidadão me passou ...

Bom, liguei para o terceiro personagem desta história, o comprador do lote de peças. Novamente fui muito bem atendido, tenho a impressão que catarinense é tudo "gente boa" ... De novo bati um bom papo e o rapaz me confirmou que tinha o banco xadrez branco. Fiquei de ligar no dia seguinte para ele verificar o real estado do banco e me passar um preço.

Liguei uns dias depois, ele me fez um preço bem razoável e fechamos negócio. Apenas pedi para que ele desmontasse as capas do banco e me mandasse apenas as capas. Eu já estava achando tudo fácil demais até que hoje pela manhã chega a encomenda pelo correio .... Só abri a primeira aba da caixa e .... f*deu !!!

Lá estavam as capas, xadrez, brancas, mas de SE 72-73 ....



Nem abri o resto da caixa, parei por lá mesmo ....

Ou seja, continuo precisando de um pedaço (no mínimo), ou 2 pedaços (ideal) de tecido de SE 74-75 branco !!! (E de um jogo completo amarelo, já que é para pedir mesmo .. kkk) ... Quem souber de uma dica por favor entre em contato ....

Do contrário vou ficar com um SE 74 zerado, com o banco do passageiro com o escosto preto ... Aí f*deu, né ????

A boa notícia do dia é que o R/T 71 amarelo boreal, que no último post começou a ser pintado ... Como se deve, de dentro para fora ....

Porta malas no fundo ...

Porta malas pintado ...

Lateral com acabamento no padrão original ...

Finalmente o Charger R/T 71 volta a ser amarelo boreal ... Para quem não se lembra, este é o R/T 71 que eu comprei em Foz do Iguaçu pintado de vermelho. Guardei o carro durante anos, aguardando a vez dele até que eu vendi para o meu amigo Gustavo de Novo Horizonte num momento de finanças curtas .... O Gustavo ficou um ano com o carro e um dia cogitou vender ... Naquele dia especificamente eu estava com as finanças um pouco mais em ordem e comprei o bicho de volta ....

R/T 71 amarelo boreal ainda pintado de vermelho ...

Sei muito pouco sobre este carro. Apenas que foi tirado 0km na Mopasa em Ponta Grossa-PR (o carro tem o manual dele !) e eu comprei em Foz de um cidadão que tinha uma fábrica de refrigerantes no Paraguai. Gostaria de saber qunado ele foi pintado de vermelho ...

Durante a remoção achamos partes com tinta branca .... Teria ele sido branco também antes de ser vermelho ?

Como o branco estava por baixo de um adesivo da Mopasa no porta malas do carro, não descarto a hipótese de ele ter sido pintado de branco ainda 0km na concessionária.

Meu amigo Jafet tem um amigo cujo pai comprou um R/T 71 amarelo boreal 0km e, um ano depois, enjoado da cor, mandou pintar o carro de branco ....

Se tiver alguém da região, de Ponta Grossa a Foz do Iguaçu que souber algo do carro, por favor entre em contato.

Abraços,

Badolato




14 comentários:

  1. eu sou de Ponta Grossa e a única coisa q eu sei é aonde é a residência do antigo proprietário da concessionária, antigamente ele tinha alguns Dodges abandonados na garagem, hj não tem mais nenhum. Interessante as histórias sobre seus veículos e fico empolgado pela origem de um deles ser daqui.

    ResponderExcluir
  2. Roger,

    Anota aí o nome do primeiro proprietário do carro e endereço, conforme anotado no manual do proprietário:

    Orlando Carlos Osternack
    Rua Dr. Paula Xavier, 501

    Abraços,

    Badolato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a residência q eu citei é nessa rua, eu acho q era o dono da concessionária mesmo, qualquer hora quando passar lá na frente vou ver se o número é esse mesmo.

      Abraço

      Excluir
  3. Fala Badola,
    cara, eu conhecia este carro antes de você apresenta-lo por aqui,
    um cara que se formou comigo é de Foz de Iguaçu e o pai dele é dono de uma oficina de funilaria e pintura, pelo o que ouvi na época foi o pai dele que pintou de vermelho, vou ver se consigo alguma informação.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal !!! Vê pra mim ... A gente começa a restaurar os carros e dá vontade de saber o passado dele, por onde andou, essas coisas ...

      Vendeu o LS 71 ?

      Abraços

      Excluir
    2. Já enviei a mensagem para o Marcelo e procurando fotos aqui, achei as que ele me mandou na época, vou te encaminhar. Ainda não vendi, belisca, belisca mas não sai, acho que é o destino dele ficar na Lapa kkkkkk.

      Excluir
    3. Ele veio só a carcaça mas vcs colocaram bastante coisa nele não ? Manda por e-mail para mim ... Abração !

      Excluir
  4. Essa dificuldade com bancos é o pesadelo de todo dono de Magnum...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Vital, tanto Magnum como Lebaron e Charger Rt 79 e 80.
      Aproveitando o assunto, proponho a seguinte hipótese: suponhamos que o cara tenha um Magnum ou Charger com interior azul, o interior seja perfeito e original, no entanto APENAS os bancos dianteiros estejam com a parte em tecido navalhado destruída, e o restante totalmente original.
      O que seria mais viável, caso não fosse encontrado material doador? Refazer todo o interior com tecido diferente?
      Ou somente reformar os bancos dianteiros usando material mais próximo possível, em que pese ser visível a diferença em relação ao restante do conjunto?

      Excluir
    2. Eu faria apenas os bancos da frente e seguiria na esperança devem dia achar um par original !

      Excluir
  5. com relação a esses problemas com tecido, será que a partir de uma amostra alguma empresa consegue reproduzir?? de repente vc faz um lote minimo, assim como os cortes de vinil e vende o excedente para outros que precisem. o que vc acha badolato?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentei reproduzir algumas coisas mas nunca tive sucesso. A impressão que da é que as fabricas estão lotadas de serviço e ninguém quer saber de fazer nada...

      Excluir
  6. Antigamente era muito comum os proprietários até de carros semi novos, mudarem de cor simplesmente por não ter gostado da escolha na compra.

    ResponderExcluir
  7. Ola Badolato sou uma grande fã do seu projeto, trabalho e etc.Tenho 24 anos e minha paixão por Dodges começou aos 2 com meu pai um senhor italiano que minino é uma figura no bom sentido, ele teve inumeros dodges pela vida e seu ultimo modelo foi uma dart 81, e sua paixão se lhe rendeu um monte de histórias emocionantes e principalmente hilárias tenho fotos antigas e relatos se lhe interessar mando um e-mail contando.
    Parabéns novamente pelo trabalho.


    Um grande abraço

    Ricardo Batassini

    ResponderExcluir