Siga por e-mail

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Obras andando ...


Caros,

Fico feliz da vida quando vejo as obras andando. Às vezes passam se semanas sem acontecer nada e dá até um desânimo, que se reflete pela falta de post no Blog ...  Mas quando eu vejo que as obras estão andando, fico feliz da vida

Recebi hoje estas fotos. 

1) Charger R/T 71 amarelo boreal

Todos os pretos do carro finalizados, começa a montagem a seguir ! As fotos falam por si mesmo !  






2) Pick ups D-100 e A100

Ambas as pick ups começaram a serem desmontadas, lavadas e limpas ...



Dá gosto de ver, né ?

Abraços,

Badolato


domingo, 23 de setembro de 2012

Abrindo o Museu para Visitas ...


Caros,

Depois de muito quebrar a cabeça, acho que encontrei uma maneira de abrir o Museu para visitações.

Para isso vou ter que fazer alguns investimentos. Gostaria que os leitores do blog respondessem às perguntas ao final deste Post para eu sentir se o modelo faz sentido e agrada às pessoas.


Objetivos

O objetivo de abrir o Museu para visitação é atender o interesse das pessoas em conhecer o acervo, além de se encontrar com pessoas que curtem as mesmas coisas.

Além disso, o modelo de visitação deve pagar os investimentos e ajudar na manutenção do Museu. Não tenho interesse em ganhar dinheiro com as visitas (já tenho meu trabalho para ganhar dinheiro), mas a iniciativa deve se pagar e ajudar a manter as despesas relativas à abertura do Museu. 


Formato das Visitas

As visitas acontecerão 2 vezes ao mês, no primeiro sábado e primeiro domingo de cada mês.

Os convites serão limitados por dia e vendidos antecipadamente. Não será possível a entrada de visitantes sem convites previamente adquiridos.

Haverão 2 tipos de convites:

- Convite Simples

- Convite com almoço

Serão disponibilizados apenas 80 convites por dia de visitação, sendo 40 convites simples e 40 convites com almoço

A idéia de oferecer a opção de almoço é para que os visitantes possam passar um dia todo lá, curtir os carros, bater papo, sem ter que sair para almoçar ou interromper a visita muito rapidamente. Além da visita se tornar uma opção de passeio para a família toda. Estamos pensando em atividades para as crianças também, como um playground e alimentar os peixes do Museu.

O almoço será algo diferenciado, sempre com 2 opções de pratos, preparados por uma "chef" que vai me ajudar na empreitada ...

As visitas começarão às 10:00 e as pessoas poderão ficar no Museu até as 16:00, ou seja, contando o tempo de ida e o de retorno, torna-se um programa de dia inteiro ....

Perguntas:

1) Você teria interesse de visitar o Museu neste formato ? Este modelo é interessante para você ?

2) Você faria este passeio com amigos ou com a família ?

3) Se esta visita já estivesse disponível, com quantas pessoas você iria ?

4) Você voltaria ao Museu a cada 6 meses, por exemplo, se houver novidades nos carros expostos ?


Programação

A idéia é, fechando este modelo, construir um pavilhão com banheiros, cozinha e restaurante, bem como arrumar a área de estacionamento.

A expectativa é de fazer as primeiras visitas no segundo trimestre de 2013. Até lá teremos vários carros que ficarão prontos, inéditos, dando maior porte ao acervo.

Aguardo críticas, sugestões e feed backs ... 

Abraços,

Badolato

sábado, 22 de setembro de 2012

Absurdo de uma republiqueta das bananas ...



Caros,

Tem muita coisa que me revolta no Brasil ...

A começar por estes governantes mequetrefes (a palavra está na moda) que estão à frente do Governo Federal nos últimos anos ....

Politizaram empresas públicas, empresas públicas com capital aberto (como a Petrobrás, cagando para os demais acionistas), acabaram com as agências reguladoras (alguém consegue falar ao celular direito aí) e fizeram um grande projeto de se perenizarem no governo, no melhor estilo bolivariano ....

Mas a imbecilidade se mostra mesmo nas pequenas coisas ...

Uma delas aconteceu ontem, 20/setembro/2012 ...

O Museu do Automóvel de Brasília, criado e mantido de forma messiânica por nosso amigo Roberto Nasser (que entre outros feitos criou a placa preta, liberação da importação de veículos com mais de 30 anos, um ferrenho defensor do antigomobilismo), foi brutalmente LACRADO na data de ontem !!!!

O Museu se estabeleceu num prédio público, cedido para o Nasser para este fim ... Transformou-se num grande Museu, com rico acervo da história automobilística, aberto ao público de forma gratuita ... Um projeto de vida do Nasser que abriu mão de muita coisa em sua vida pessoal para viabilizar tal empreitada.

O Ministério dos Transportes quis retomar o prédio para, pasmem senhoras e senhores, para guardar papel velho !!! Exatamente ... Nos autos do processo está clara a destinação pretendida: arquivo morto de órgão extinto !!! Ou seja, estão desalojando o mais importante museu da indústria automobilística brasileira  para guardar papel velho das finadas ferrovias brasileiras ...

Andanças jurídicas para lá e para cá e eis que ontem o Museu foi lacrado ... Os carros não podem ser ligados, não podem ter manutenção, nada ... Conhecendo a velocidade da justiça brasileira, grande chance desta situação se arrastar por muito tempo, causando danos irreparáveis aos carros que estão no Museu ...

Dá patra imaginar ignorância maior ??? Num país que tem a 5a maior indústria automobilística e que NENHUMA montadora se dignou a montar um Museu para preservar parte desta história ????

Já chega o absurdo que foi o desmonte do Museu da Ulbra ... Se o dono tinha problemas com o Fisco, estatiza o Museu e pereniza a obra que havia lá ... Ou será que Canoas tem tantas atrações turísticas que não precisa de um Museu como aquele ????

Minha revolta e indignação é total !

Quem também estiver indignado, assine a petição pública:

http://www.peticaopublica.com.br/Default.aspx?pi=apoiomab

Quem tiver acesso à brilhante Ministra da Cultura poderia comovê-la a fazer algo ....

Por hora o que dá para fazer é mandar um caloroso e fraterno abraço ao Nasser e torcer para que este absurdo se resolva o mais rápido possível, e em caráter definitivo !


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Indiarada Xavante ....

Caros,


A vida às vezes nos prepara algumas surpresas pitorescas ... 

Nunca imaginei que acabaria comprando o famoso R/T 71 vermelho xavante de Campinas, o único exemplar conhecido nesta cor ....

Hoje mesmo ele chegou em São Paulo e já entrou na oficina: troca de óleos, reparo do carburador, troca de bomba de gasolina, repasse na suspensão ....

O curioso é que ontem o nosso R/T 72 vermelho xavante saiu pela primeira vez da oficina para ir para a casa de escapamentos ....

Seguem fotos ....

Curioso mesmo é estes dois carros estar no centro das minhas atividades Dodgísticas, dois carros raros, na mesma cor !!!





São poucos os casos de cores que a Chrysler ofereceu nos Charger R/T em 2 anos seguidos ...

Se não me esqueço de nenhum:

- Vermelho xavante - 1971 e 1972
- Marrom asteca claro - 1972 e 1973
- Vermelho índio - 1973 e 1974
- Amarelo enxofre cítrico - 1973 e 1974
- Branco Espuma Marinha / Branco Ipanema - 1973 e 1974
- Branco Valência - 1975, 1976 e 1977 (o único tri !)
- Vermelho Dinastia - 1975 e 1976 
- Castanho Araguaia - 1976 e 1977
- Prata Monterrey - 1976 e 1977

As demais cores são todas exclusivas do ano que sairam ... Ah, e tem o preto ... Que nunca foi disponível no catálogo normal, mas disponível mediante encomenda ...

Abraços,

Badolato



domingo, 16 de setembro de 2012

Gasolina estragada, Plymouth x Pontiac & 2 R/Ts vão, 1 R/T vem ...

Caros,

Carro tem que andar ....

Carro quanto mais anda, melhor fica ... Vejo o exemplo do meu Road Runner 70. Como ele fica aqui em casa, estou sempre dando uma saída com ele. Resultado ... está sempre redondo. Bate na chave e pega ... e pode por na estrada.

Já os carros do Museu não andam tanto quanto eu gostaria. A cada 15 dias eu vou lá funcionar um número de carros, andar com eles, deixar funcionando no sol queimando gasolina velha e quando possível ir até um posto Petrobrás há uns 20 km de lá, abastecer com Podium.

O legal da Podium para antigos é que ela dura muito no tanque, não estraga tão rápido quanto a gasolina comum. Então é por este motivo que uso ela ... Não pela maior octanagem, pois com a taxa de compressão usada nos Dodges nacionais não faz diferença ...

Mas, há uns 2 meses atrás, fui para o Museu para fazer uma grande movimentação de carros por conta de uma matéria para uma revista.

Quando vou fazer estas movimentações, sempre levo gente para ajudar ... é um tal de tira bateria, põe bateria, funciona, tira, põe .... E nesta vez em particular pedi para uma pessoa buscar gasolina no posto Petrobras. A pessoa provavelmente entendeu errado e foi num posto mais perto, de nome parecido ... Só me dei conta quando já tínhamos abastecido 4 carros com a tal gasolina. O pior foi quando a gasolina pingou no chão, e imediatamente manchou a resina de forma irrecuperável, prova do tanto de solvente que ela continha.

Vocês podem imaginar a minha alegria ...

Pior foi que, dos 4 carros abastecidos, 3 foram avariados pela gasolina nojenta ... O pior é que é um posto muito movimentado, na rodovia, que centenas de pessoas abastecem todos os dias .....

O resultado é que das duas últimas vezes que fui para o Museu, ao invés de funcionar carros que estava há algum tempo parados, tive que gastar tempo arrumando o estrago da gasolina nojenta: drenando tanque, trocando bomba de combustível, reparo de carburador ...

Sexta feira última fomos para lá com uma bomba de gasolina nova para a GTX 69 bronze e levamos de volta um carburador que tinha vindo para ser reparado ....

Minha vontade era de denunciar o posto, mas não tenho um único comprovante da compra, já se passou um bom tempo e nem sequer fui eu quem fiz a compra pessoalmente ... Complicado ....

Bom, mas na sexta-feira ainda deu tempo de funcionar o Plymouth Super Coupé 78 e um estranho no ninho que está contingencialmente guardado no Museu, um Pontiac Turbo Trans Am 81 ...

Os dois carros são belos representantes dos esportivos americanos do final dos anos 70 ... Pouca coisa havia sobrado de interessante, e esses dois carros são, na minha opinião, o que havia de mais interessante na época,

O Super Coupé era um F-Body de produção super limitada, apenas 494 Plymouth Super Coupé foram produzidos, exclusivamente em 1978 ... Ele vinha de fábrica com um 360 4-V, bancos separados, câmbio automático no console, rodas tala 8 polegadas, paralamas alargados.

A Turbo Trans Am só foi disponibilizada em 1980 e 1981. Vinha com um V8 301 turbo, turbina Harrison. Em 1981 a GM estava em plena política de reduzir custos com os motores corporativos e mandou a Pontiac para com o 301, deixando o modorrento Chevrolet 305 como única opção de V8 para a linha 1982 ...

1978 Plymouth Super Coupé X 1981 Pontiac Turbo Trans Am


Tinha tempo de ir até o posto Petrobrás uma vez, e resolvi ir com os 2 carros, eu com um e o Paulo que me ajuda com a mecânica dos carros em outro. Já fazia tempo que eu queria dar uma experimentada nos dois juntos para sentir qual era mais forte: o 360 4V ou o 301 Turbo ? Brincadeira divertida para uma sexta feira.     

Na ida fui com o Super Coupé ... Entrei no asfalto e tive uma surpresa boa ... Acostumado com o Duster 79 que tem o motor Super Six 225, quando o segundo estágio do quadrijet abriu eu dei um sorriso ... Bom ... Volante leve, preciso ... O carro tem apenas 560 milhas ! Nunca foi usado. Pneus de fábrica. A idéia é dar uma experimentada, mas sem abusar.




Alguns kilometros na vicinal, aquelas duas máquinas cor de vinho chamaram demais a atenção. Quando entrei na rodovia mesmo, rapidamente o velocímetro acabou. Pudera, o bicho marca apenas até 85 MPH ... Coisas da época de vacas magras, entre a primeira e segunda crise do petróleo no caso do Plymouth e após as duas, no caso da Pontiac ...

Chegamos no posto, abasteci o Plymouth com Podium. O Pontiac tinha sido abastecido recentemente. 



Trocamos de carro. Eu peguei o Pontiac e deixei o Plymouth para o Paulo. A primeira grande diferença é a posição de sentar, mais baixa no Pontiac. O volante também é leve e preciso, como o do Plymouth também pequeno ... 



A maior diferença está no comportamento do motor turbo. Quando atinge determinada rotação, de pé embaixo, o carro dá um soco ... Ás vezes coincide com a troca de marchas do câmbio automático e o soco é ainda maior ....

Qual anda mais ? Tanto na ida quanto na volta, ou seja, com ambos os "pilotos", o Pontiac levou uma certa vantagem.

Quando eu estava com o Plymouth e entrei na rodovia, sentia o Pontiac chegando pelo retrovisor, mesmo com o pé embaixo ... Quando troquei de carro, sentia o Plymouth ficando para trás, principalmente nas subidas ...

Muito legal, muito divertido ... Mas era hora de voltar para São Paulo ... Fim de brincadeira ...



Dois R/Ts vão, um R/T vem ...

Não atualizei o blog por algumas semanas por total falta de novidades relacionadas às restaurações ... Tem hora que não acontece muita coisa, dá até um desespero de se pensar nos carros que ainda tenho por restaurar e no tempo que leva cada restauração.

No último (ou penúltimo) post, disse que venderia dois carros para liberar espaço. E nos últimos dias acabei me desfazendo de 2 Charger R/T: um R/T 73 e um R/T 78 ....

O R/T 73 que vai embora é o vermelho nascente. Carro espetacular, todo original, pouquíssimo mexido. E por que eu vendi então ? Porque estou finalizando a restauração do R/T 73 vermelho índio e ele está ficando tão lindo, mas tão lindo, que não faz tanto sentido ficar com o outro vermelho.


O R/T 78 é um carro que merece restauração. Todo matching numbers, placa do ano, plaqueta nunca saiu do lugar ... Teve o azar de ter a cor bege indiano sobreposta por um horroroso laranja General Lee ... Um pouco antes de vendê-lo, consegui um teto de vinil original de época, lindo e maravilhoso ... Vai ficar perfeito.



Ambos os carros vão ficar lindos e zero. Acertei com os respectivos compradores dos carros e vou fazer a restauração dos carros para eles. 

Bom, como diz a tal Lei da Atração, que segundo meu amigo Jafet, quando você se desfaz de algo abre espaço para atrair outra coisa.

E eis que, graças a dois grandes amigos meus, um carro espetacular acabou caindo nas minhas mãos ontem ... Darei detalhes mais para a frente, por hora fica a foto, que vale mais do que mil palavras ....


Abraços,

Badolato