Siga por e-mail

terça-feira, 12 de julho de 2011

Os incríveis e obscuros Dodges argentinos

Caros,

Confesso … Sempre tive preconceito com relação a carros argentinos ... Certamente por conta dos pavorosos Ford Falcon que invadiam as praias catarinenses no final dos anos 70, início dos anos 80, época que todo verão nós íamos para lá ... Barra Velha, Porto Belo, Camburiú ... E os Ford Falcons horrorosos, alguns com faróis redondos, outros iguaizinhos, mas com faróis quadrados ... Os com faróis quadrados eram os piores, pois tinham os vincos de carroceria típicos dos anos 60, mas os faróis quadrados e parachoques dos anos 90 ....


Freeeeeeeeaaaaaak !!!


Impressionante como a GM do Brasil conseguiu carregar o Opala com estilo até o final, enquanto a Ford argentina cometia essa atrocidade ...



Ambos fabricados no final de 1991 a partir de projetos dos anos 60 ... Dá para comparar ???


Os Dodges argentinos eram raros, mas também com faróis quadrados ... e, até onde eu sabia, 6cc .... Nunca dei bola para eles ...

De uns anos para cá comecei a olhar esses carros com outros olhos, e tentei entender eles .. E a surpresa foi uma história fantástica por trás destes obscuros Mopar, talvez os mais obscuros do Mundo.

A primeira descoberta, pelo menos para mim, é que eles são A-body exatamente como os nossos Dodges, e não B-body como se falou por aqui por tanto tempo ...

A confusão se dá pelo fatos dos Dodges argentinos serem maiores do que os nossos Dart, então muitos devem ter pensado se tratar de um B-body, como os Coronet e Satellite/ Road Runner americanos. Para aumentar a confusão há uma certa semelhança entre a lataria dos A-body argentinos e os B-body americanos, mas é apenas coincidência, o argentino é menor do que o B-body americanos. Pondo mais fumaça, o nome do argentino, Coronado, deve ter feito muita gente imaginar ser apenas uma “castelhanização” do Coronet ...

Mas porque a Chrysler da Argentina (Chrysler Fevre) quis desenvolver uma carroceria própria, ao invés de fazer como a Chrysler do Brasil que criou uma gama de modelos a partir do Dodge Dart americano ??

Exatamente o porque eu não sei, mas a origem dos Dodges argentinos está na Espanha !!!

A Chrysler Barreiros, no final dos anos 60, produziu o Dodge Dart espanhol, a partir do Dodge Dart A-body de primeira geração (63-66 nos EUA) ... Por isso ele é tão diferente do nosso, que se baseia no Dart de segunda geração (67-76 nos EUA). Para completar a Barreiros quis “europeizar” o Dart, colocando faróis quadrados ... Porém a Barreiros produzia apenas o Dart 4 portas, inclusive para a versão esportiva, o Dodge 3700 GT.



Quando a Chrysler Argentina decidiu produzir o Dart lá, se baseou no espanhol e não no americano ... Argentinos sempre quiseram ser europeus ... :)

Só que a Chrysler Argentina também queria um coupé e o desenhou totalmente na Argentina. Os faróis quadrados assustam um poucos, mas as linhas de carroceria, principalmente das laterais, são lindas !! Limpas, fluidas, grandes ... Um animal diferente, e muito interessante.



Se o Sedan chamava Coronado, o coupé chamava Polara ... E tinha a versão TOP a GTX ... Mais uma curiosidade aqui ... A sigla GTX é Plymouth nos EUA ... Mas foi Chrysler no Brasil e Dodge na Argentina ! Que zona !

A versão GTX poderia vir com o motor 225 6cc ou com o 318 V8. Aqui mais um mistério: o Brasil produzia o 318 a rodo, exportava muito, principalmente para a Venezuela .. Tanto que para 92.508 Dodges grandes, a Chrysler do Brasil fabricou mais de 271.000 motores 318 !! OK, uma pequena parte do excedente foi para D100s, caminhões e reposição... Mas mais de 150.000 foram exportados ! Então a Argentina importava o 318 do Brasil, certo ? Errado !!! A Chrysler argentina trazia o 318 do México !!!! Não faz sentido a Argentina comprar do México e a Venezuela comprar do Brasil !!! Poderai ser ao contrário, mas não foi ... Tanto que até hoje na Argentina, o GTX V8 é chamado de “Mexicano”, da mesma forma que o Maverick V8 brasileiro ainda é chamado de “canadense” .



Já a versão R/T, que aqui no Brasil era a top, na Argentina era uma versão despojada, esportiva sem luxo, com cores fortes ... Exatamente o posicionamento do nosso SE aqui ... Mas lá o R/T vinha apenas com o 225 6cc ...



A produção argentina foi muito baixa, não tenho números exatos, mas encontrei algo como 27.000 carros produzidos entre 1968 e 1980, apenas uma parte deste total eram coupés. Coupés que não se encontram em nenhum outro lugar do mundo !

Definitivamente são carros muito interessantes, altamente colecionáveis.

Me retrato aqui dos anos de desprezo a esses carros tão legais !




Abraços,

Badolato

22 comentários:

  1. Ótimo, tirou algumas dúvidas que eu tinha em relação à origem desses Dodges. Também acho os Dodges argentinos lindos, com exceção da frente e seus faróis quadrados que não tem nada a ver com o restante do carro. Como curiosidade, tenho uma revista com teste do RT e GTX, 6 x 8 cil, e o 6 cil andava praticamente como nossos Dart, o V8 um pouco mais. Abraço!
    JAmes

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto GTX. Acho legal, exceto o farol dianteiro.

    abçs

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Gostei do estilo da carroceria bem legal principalmente do cupê, mas os farois dianteiros me dão medo, Acho que num vou dormir lembrando deles, kkkkkkkk.
    Quem era o chefe da divisão de design, queria entender como conseguiram mesclar uma carroceria tão agressiva vista de lateral, com uma frente que da medo, kkkkkkkkk Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Realmente,o carro é lindo...mas esses farois...dao medo mesmo

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo post, Badolato! História bem interessante, mesmo...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Já tinha visto estes carros no "mercado libre". Inclusive, acho a traseira e lateral muito interessantes. Só os faróis quadrados que matam, fica até parecendo um Volkswagen (se fosse no Brasil ainda teria explicação). A versão V8 parece ser rara, mesmo por lá. Mas eu não sei se importaria um desses.

    Pelo seu post, aposto que já andou olhando alguns.

    Inté.

    ResponderExcluir
  8. esse gtx é muito bonito mesmo.. de lado.. esses faróis quadrados são de muito mal gosto

    ResponderExcluir
  9. Beleza de texto, eu desconhecia totalmente essa saga dos Dodges argentinos.

    ResponderExcluir
  10. acredito que para importar um carro antigo da argentina tenha menos impostos por causa do mercosul
    e o peso argentino tambem esta valendo bem menos que o real

    ResponderExcluir
  11. Nada mal:

    http://img824.imageshack.us/img824/305/gtxv.jpg

    ResponderExcluir
  12. Esse Gtx é Muito legal !, pena que a frente seja tão feia !

    abraços,

    Ruann

    ResponderExcluir
  13. Badolato, esse GTX até que é bem bacana, das frentes horrorosas dos carros argentinos essa foi a menos feia que vi.
    Enfim, como diz meu primo, argentino só serve para fazer alfajor e mandar crise econômica e frente fria pro Brasil. Kkkkkkkk
    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. PESSOAL!!!
    DEÊM UMA OLHADA !
    http://auto.mercadolibre.com.ar/MLA-117362236-dodge-gtx-v8-_JM

    TURQUESA AQUARIUS !
    http://auto.mercadolibre.com.ar/MLA-120072259-dodge-gtx-v8-mexicana-_JM

    O R/T
    http://auto.mercadolibre.com.ar/MLA-120532792-vendo-coupe-muy-buen-estado-_JM

    ResponderExcluir
  15. Excelente post, valiosa informação!

    Porque será que as vezes a gente não se liga em fatos que nos cercam...daí passo o tempo e ..dá um estalo!?!?!?

    ...coisa de Dodgeiro!?!?
    Abraços,
    Blog do Garboso.

    ResponderExcluir
  16. Badola,

    Esses carros são raros até por la, ja estive 2 vezes em Buenos Aires a trabalho e sempre tentei ver na rua um dos "dojões" mas sempre encontrei so o 1500 (versão argentina do nosso 1800 / polara) e os horríveis ford falcon que la é bem comum até hoje.

    Abraço

    Coxinha

    ResponderExcluir
  17. Caros,

    Recebi um email do amigo Alejandro Tasso, de Buenos Aires, com varias informações interessantes sobre os Dodges Argentinos. Logo vou postar um texto sobre essas informações, mas deixa eu já corrigir um erro no meu post.

    Ao contrário do que falei os Dodges argentinos não foram baseados no espanhol, na verdade aconteceu ate o contrário.

    O Dodge argentino foi lançado em 1968 e quando a Chrysler na Espanha quis atualizar o Dodge espanhol, em 1970, foi ela que sr baseou no argentino para o modelo 1971 !!!

    Quanto mais eu pesquiso, mais interessante esta história fica ...

    Em breve num post.

    Abraços

    Badolato

    ResponderExcluir
  18. vc vai acabar comprando um bixo desse

    ResponderExcluir
  19. Se o GTX tivesse faróis redondos, ao invés destas coisas a la Opel... Seria imbatível.

    O Polara R/T é bem legal também, apesar de 6.

    Tem um tal de Renault Torino que também foi um carro argentino incrível.

    ResponderExcluir
  20. Badola é o Renault Torino TSX
    http://www.youtube.com/watch?v=NbuvJMVGxHU&feature=player_embedded#at=19
    http://www.youtube.com/watch?v=LiVVcr44wWw
    http://www.youtube.com/watch?v=iUIWiHRuWwQ&feature=related

    fabricado pela IKA - Industria Kaiser Argentina, a equivalente portenha da Willys Overland daqui;
    Era baseado no Rambler Hardtop Coupé americano de 1964

    ResponderExcluir
  21. muito interssante as história dos GTX!
    só voltando a questão dos ford falcons argentinos, eles são de origem australiana, os argentinos tinham a origem nas primeiras versões da década de 60, lembrando que o ford falcon deu origem ao THE LAST V8, carro de MAX ROCKATANSKY (MEL GIBSON) em Mad Max, que era um ford falcon XB que foi fabricado entre 1973 e 1976. Na oceania o falcon ainda existe, é carro muito parecido com o nosso atual ford focus!

    ResponderExcluir
  22. Soy de Argentina, esta es mi Dodge Polara RT de 170hp

    https://lh6.googleusercontent.com/Wss0TpyMeo_pfnHt-3t4ytjUkH30wJVULE1CZ5sCvIo=w816-h612-no

    ResponderExcluir