Siga por e-mail

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Carro antigo é investimento ?

Caros,

Recebi o recorte abaixo ontem, mostrando o estudo de uma consultoria inglesa sobre a valorização dos carros antigos em comparação com a de outros investimentos alternativos ... Segundo a consultoria, os carros antigos foram os bens que mais se valorizaram ...

Porém há muito tempo eu reflito sobre o assunto, e existem erros no estudo ...


Há 8 anos atrás eu comprei um Dodge Dart Coupé com baixa kilometragem por R$ 10.000 ... Hoje o carro vale R$ 50.000 ... Valorização de 400% em 8 anos ??? Errado !

O principal erro é não considerar o custo de manutenção nesta conta "investimento" ... O estudo pega o valor médio dos bens a cada período e os compara ...

Mas vamos lá ... Um relógio (valorização média de 76% nos últimos 10 anos) praticamente não tem custo de manutenção ... Você não precisa alugar uma gaveta para guardar ele ... Basta uma limpeza periódica, para evitar fungos nas pulseiras de couro ou oxidação nas partes metálicas ... E só ....

Por outro lado, um carro antigo precisa ser guardado, mantido, por vezes reparado ... e outras vezes restaurados ...

1. Guarda ... Um carro precisa ser guardado em algum lugar ... Com exceção de quem mora no interior e tem espaço de sobra para um puxadinho (que não deixa de ter um custo), os moradores das grandes cidades pagam aluguel de garagem ... E se tem garagem própria, no mínimo deixam de ganhar com o aulguel da garagem a terceiros ...

No prédio em que moro uma garagem é alugada por R$ 350,00.

Voltando ao exemplo do Dodge Dart comprado por R$ 10.000 e que hoje vale R$ 50.000 ... Se ele ficasse guardado numa destas garagens, a guarda dele custa R$ 4.200,00 por ano ... Nos oito anos que estou com o carro (desprezando a inflação, anulando ela com a valorização do dinheiro), em valor nominal teria gasto R$ 33.600,00 reais com garagem do carros

2. Manutenção ... Qualquer carro dá manutenção .. O mais perfeito dos carros apenas requer troca de óleos e gasolina, para rodar de vez em quando e não deixar ela estragar ... Gasta-se no mínimo R$ 1.000 por ano ... No caso do Dart, novamente com a grosseria matemática dos valores nominais, estamos falando de mais R$ 8.000

Porém não existe carro antigo que num período desses (8 anos) não tenha um hidrovácuo estragado, um cilindro de roda vazando, um alternador que para de carregar, um carburador para ser reparado por  conta da borra daquilo que chamamos de combustível ... Se tiver que fazer uma embreagem então ... Vamos contabilizar no mínimo mais R$ 1.000 por ano ....

3. Documentação .... O carro precisa estar com a documentação em dia. Em estados como MG se paga IPVA ... na maioria dos outros não ... Em São Paulo tem que se fazer a Controlar, que gera mais gastos de manutenção para anualmente o carro passar na inspeção ... Ou então se fazer a placas preta, que tem o custo de uma transferência, além da anuidade do clube filiado  ... Dá para se fa;ar em mais R$ 500 por ano ...

Ou seja, o Dart de R$ 10.000 em 2005, somados os itens 1, 2 e 3, já custa R$ 53.600 !!!! Ou seja, num passe de mágica a valorização de 400% virou -36% !!!!

OK, um economista iria se contorcer com o simplismo matemático do meu exemplo, mas o importante é o conceito ... Se o resultado final não for isso, é próximo disso !!!

Portanto o maior retorno de um investimento em carro antigo é o prazer, as amizades que o cercam e o senso de preservação ...

Por outro lado você pode imprimir o gráfico do começo deste texto e mostrar para tua mulher que pega no teu pé com os gastos com os carros (a minha não pega, graças a Deus) ... É uma boa desculpa .. e não precisa entrar no detalhe ... rs ...

Por outro lado, se não é um investimento ao menos os carros antigos são uma reserva de valor ... Melhor gastar neles do que em outras coisas que não te dão a oportunidade de ao menos recuperar parte do valor de volta ....

Abraços,

Badolato

19 comentários:

  1. Excelente postagem Badolato.

    Não podemos embarcar no conto de fadas do investimento mágico - até porque nem sempre contabilizamos todos os custos por razões domésticas, rsrs.

    Carro antigo é muito legal, gostoso de se ver, aproveitar, fazer e manter boas amizades, mas custa caro para comprar (quase sempre) e para se manter (sempre).

    Controlo com rigor os gastos com os meus carros, tudo incluído, menos o que eu ganharia alugando minhas vagas de garagem. Comparando com as opções de investimento, acredito que somado ao prazer proporcionado (e abatidas as dores de cabeça) o carro antigo é um bom investimento.

    Meus carros rodam pouco, menos do que deveriam. Com isso economizo combustível e gasto com mecânico e auto-elétrico. Deveria ser o contrário.

    Abração.

    Reinaldo
    http://reiv8.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rei,

      Dei um chute nos valores para exemplificar mesmo ... Se entramos em restaurações, aí a vaca torce o rabo mesmo ....

      Abração,

      Badolato

      Excluir
  2. Se esqueceu da inflação? Eu procuro não pensar muito acerca do que escreveu para não desanimar. A loucura é tão grande que acabaram as garagens e agora estudo um jeito de colocar mais carros!

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se não me engano ele colocou ali no começo, que estava "desprezando" a inflação, certo!?

      Excluir
    2. Correto, comi mosca agora.

      Excluir
    3. Leroi,

      Peguei valores nominais para facilitar, mas não tem tanto erro ...

      Assumo que o valor pago, por exemplo, em uma vaga de garagem em Maio/13 seja o mesmo que o pago há 10 anos atrás corrigido ...

      Ou seja, ao invés de atualizar cada valor, simplesmente assumi o valor atual como os valores nominalmente inferiores do passado corrigidos pela inflação ... Não deve mudar muito o resultado final ...

      Abração

      Excluir
  3. Olhando um gráfico, acho que vou colecionar moedas. Tenho uma gaveta supimpa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKKKK ....

      Isso !!!

      Aí no domingo você põe as moedas no bolso e vai dar um rolê com elas ...

      Vem de Goiania para Lindóia sentado em cima delas ... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Abraços

      Excluir
  4. Caro Badolato, o principal componente do "investimento" carro antigo não é mensurável. Ele se chama motivação. Como vc muito bem colocou em seu primeiro livro, foi o afã de possuir uma coleção dos carros dos seus sonhos que te motivou a trabalhar, galgar degraus rapidamente na carreira, visualizar oportunidades que ninguém havia enxergado - e ganhar mais dinheiro para tornar esse sonho possível. Existem estudiosos sobre esse tema e um dos melhores livros a respeito se chama "O erro de Descartes", que prova como o fator subjetivo é o mais importante para um resultado prático. Colocando de outra forma: será que, se não fosse a sua coleção de Dodges, vc teria chegado a tamanho sucesso profissional tão rapidamente? Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luís,

      Exatamente o que eu penso !!!

      Os carros antigos, ou melhor, a vontade de ter e menater carros antigos, durante a maior parte da minha vida foi o meu maior incentivo para sair de casa todos os dias para trabalhar ...

      Se não fosse eles talvez hoje eu fosse um funcionário mediano de alguma empresa e estaria acomodado esperando a vida passar ...

      Isso está acima de qualquer outra análise, você está coberto de razão !!!

      Abração

      Excluir
  5. Concordo com a sua opinião isso é mais do que certo... Mas por um outro ponto de vista, não como colecionador, e sim como investidor... O mercado de carros antigos vem crescendo muito, da mesma maneira que o mercado de imóveis também. Vamos exemplificar com chutes nos preços... Se você compra um carro, por exemplo um Dodge, por lá seus 15 mil, investe nele em torno de 35 à 40 mil em toda sua restauração, doc. etc... e dependendo de como o carro ficou, vende pra lá de 70 mil... E como esse dinheiro, você vai investindo até que uma hora você vai ter um grande lucro... Mas lembrando que para isso precisa ter um bom capital de incio hehehe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo, o duro é achar esse sujeito que vai comprar o Dodge por 70 mil... tem carros anunciados ha meses nessa faixa, aparentemente bons, e os anuncios continuam la...
      Baldolato, otima analise! eu que acabei de passar por uma bela restauracao no Dodge, sei bem o quanto custa a brincadeira...
      abracos
      Erico

      Excluir
    2. É isso é verdade... Mas as vezes pode acontecer da pessoa ter sorte igual a um conhecido meu, que mal anuncio o Charger dele, dois dias depois o comprador pagou os 85. ps.: Amarelo faixas pretas 69 r/t placa preta 100% original.

      Excluir
    3. O crescimento do mercado de antigos deu uma certa liquidez sim ...

      É possível ganhar dinheiro ? Em um negócio eventualmente sim ... Continuamente ? Acho difícil ... São poucos que o fazem, aliás muito poucos.

      E normalmente são pessoas que conseguiram, com visão e/ou sorte, acumular um bom estoque de carros nos tempos das vacas gordas e carros baratos ...

      Acho qu emuito mais difícil do que achar quem pague 70 num Dodge, é conseguir deixar ele valendo isso gastando apenas 35-40 ...

      Abraços !

      Excluir
  6. Excelente texto!
    Eu também acredito que o maior retorno são as amizades e a satisfação pessoal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio,

      No fim é só o que vale mesmo !!

      Abraços !

      Excluir
  7. lucra quem negocia, quem coleciona gasta mesmo!

    mas as amizades e o prazer de desfilar em um pedacinho da história ou mesmo reviver sua infância e adolescência, ahhh isso não tem preço, priceless como dizia a propaganda.

    abração e obrigado pela ótima reflexão, pois lá se vão 13 anos desde a minha primeira aquisição de um antigo

    www.V8nFUN.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Concordo plenamente. Lucro é para os comerciantes, para os colecionadores, o lucro é a paixão de realizar sonhos. Conheci o Paiva de Niterói (2011 Águas de Lindóia) que tem 100 antigos, e ele demorou 6 anos para restaurar um Uirapuru verde que pertenceu a Dircinha Batista.
    Mesmo para os endinheirados como ele, a coisa é difícil, cara e demorada. Tem que amar mesmo, senão desiste.
    Marcelo Pinho

    ResponderExcluir