Siga por e-mail

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O "ultimo" Dodge Polara

Caros,

Segue mais uma história pitoresca de arqueologia dodgística ... rss ...

Para quem leu meu primeiro livro, "Dodge - História de uma Coleção", em um dos capítulos eu falo sobre a busca obsessiva pelo último Dodge fabricado .... Nessa busca, que durou 16 anos, em um determinado momento, em um encontro de ex-funcionários da Chrysler, descobrimos um senhor, Fausto, que teria a foto do último Dodge produzido ... Ele se lembrava perfeitamente do dia em que sairam chamando o pessoal para a linha de montagem, para fazer a foto do último carro ....

O estranho é que essa foto, oficial, nunca foi publicada ... Nem pela imprensa da época, nem pelas revistas de automóveis antigos decadas depois, nada ... A foto permanecia absolutamente inédita .... Para completar a dificuldade o Fausto morava no interior, em um trailler, e precisava achar a foto ...

Confesso que minhas esperanças de ver a foto eram menores a cada dia que passava, até que um dia o Lincoln me liga, dizendo que o Fausto tinha mandado as fotos !!

As fotos ???? Sim, as fotos ... Eram duas ... A do "ultimo" Dodjão e a do "último" Dodginho ... Porque o último entre aspas ?

Porque os Dodges tinham o número de chassi pintado em numeros grandes no canto superior direito do parabrisas. O Dodjão era um Le Baron cinza chumbo, chassi 92.994 ... E o Dodginho era um marrom café chassi 94.184 ...

Oras, se a gente conhecia alguns Dodjões com chassi 93.xxx e alguns Dodginhos 94.2xx, como aqueles poderiam ser os últimos ???

Duas explicações possíveis e eventualmente complementares:

a) Talvez chamaram os funcionários para fazer a última foto quando estavam encerrando a linha, e pegaram dois carros aleatórios que lá estivessem, para fazer uma foto simbólica

b) É sabido por muitos, inclusive conversei bastante sobre isso com o responsável por cuidar do caso, que os últimos Dodginhos não foram montados na linha de montagem. O Chiquinho, ex-funcionário da Chrysler que há muito anos mantém uma oficina em uma travessa da Av Caminho do Mar, em São Bernardo do Campo, era o responsável por cuidar do galpão onde os últimos Dodginhos foram montados. A linha de montagem tinha que ser desocupada para ser adequada a montagem dos primeiros caminhões VW, e, segundo relatos, um número de Dodginhos foram montados nesse galpão.

Fato é que conhecemos 14 Dodjões com número de chassi acima do Le Baron "ultimo" e 26 Dodginhos ....

Mas voltando às fotos ....

A primeira, do Le Baron, publiquei em meu primeiro livro. A segunda, absolutamente inédita, é esta:


No canto superior direito do parabrisas está o número 94.184 .... Ah, e o Fausto é o de óculos e blusa bege, cobrindo uma gravata, o segundo do lado do passageiro do Dodginho.

Bom, de posse destas fotos fui atrás do paradeiro dos carros. Isso em 2006. O Le Baron, por uma coincidência inacreditável teve como último endereço uma casa a poucos km da casa da minha mãe. Toquei a campainha lá várias vezes, mas a casa estava desocupada. O último licenciamento do Le Baron foi em 1995, o que me faz acreditar que o carro muito muito provavelmente não exista mais.

Também, com menos ímpeto, fui atrás do Dodginho. Esse foi fácil. Estava licenciado e constava como endereço a cidade de Itapira - SP, coincidentemente também perto de um dos meus endereços ... Estava em nome de uma mulher. Fiquei de ir lá um dia atrás do carro. Mas o fato é que o tempo foi se passando, se passaram 7 anos e eu não fui atrás do Dodginho ....

Até que no final do ano passado, fuçando os anúncios de Dodge na internet, achei um Dodginho 81 marrom café anunciado em Itapira ! Só poderia ser ele ....

Fui viajar, ano novo, etc ... Na volta lembrei do carrinho ... Alguns telefonemas depois fiquei sabendo que a única proprietária do carro comprou ele na fábrica, com isenção de impostos pois era portadora de alguma deficiência física. O carro foi entregue pela concessionária Marka de Campinas alguns dias depois e levado para Itapira. E de Itapira nunca mais saiu ...

Tinha que resolver algumas coisas na região ontem e aproveitei para ir ver o carrinho ... Abri o capô e lá estava a plaqueta B094184 ... Era o carrinho da foto .... 


O carro tem 52.000 km, pintura toda de fábrica, vários pequenos defeitinhos lá e cá ... Mas muito íntegro ... Ainda tem os pneus diagonais ... O único pênalti realmente chato é que há apenas um anos atrás mandaram trocar a forração dos bancos, cujo bege claro deveria estar encardido ... As laterais de porta permanecem originais e zero !






Depois de uma negociação muito difícil, chegamos um acordo e essa pequena bala toffee vai para o Museu ... 

Legal demais ver um carro que a gente tem a foto dele na linha de montagem ... Esse sobreviveu ....



Na próxima reunião dos ex-funcionários seria legal levar o carro e fotografar ele com uns 3-4 dessa foto que frequentam os encontros !

Abraços,

Badolato



  

42 comentários:

  1. Quer os bancos originais dele? tenho os do Dodginho 80 automatico, bege camurça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazio,

      As forrações estão boas ??

      Abraços

      Excluir
    2. Ola, gostaria de alguma informação, em 2014 ganhei um doginho ano automatico, que fazer alguns repara, pra começar, gostaria de informações do tecido dos bancos, referencia da tinta, posso enviar os dados dele, e vou precisar de algumas peças de mecânica. Fico grato pela atenção.

      Excluir
    3. Ola, gostaria de alguma informação, em 2014 ganhei um doginho ano automatico, que fazer alguns repara, pra começar, gostaria de informações do tecido dos bancos, referencia da tinta, posso enviar os dados dele, e vou precisar de algumas peças de mecânica. Fico grato pela atenção.

      Excluir
  2. putz....final feliz pra esse dodginho!!!!...ai sim!!!

    ResponderExcluir
  3. Bacana. Tenho esperanças de ter um dodginho algum dia, mas prioridades são outras. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcel,

      Dodginho ainda encontra com preço bom, principalmente os com farol quadrado ....

      Abraços

      Excluir
  4. Fascinante um carro desses. A perfeição em que a lataria se encontra é algo fantástico. Simplesmente lindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jefferson,

      A lataria é boa mesmo ! E agora zerando os detahes ele vai ficar cada vez melhor ...

      Abraços

      Excluir
  5. Cara, às vezes suas buscas me espantam, kkkkkk.
    Coisa de louco.

    http://leroicotidiano.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk .....

      O pior foi passar em frente ao Baihal lá em Itapira e não ser laçado pelo enfermo-chefe !!!

      Abraços

      Excluir
  6. Badolato: tu vai pro céu com certeza.

    ResponderExcluir
  7. Isso é inacreditável!!!
    Que bom que você existe, meu caro.
    Parabéns pelo achado.
    Abraço,
    Régis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKKK ....

      Régis, nem tanto ... kkkk

      Abraços !!

      Excluir
  8. muito bom o achado eu tenho um 81 numero 94.147 muito próximo deste rssss

    ResponderExcluir
  9. 94147 é um GLS cinza, carro pertenceu ao Sr. Valmirar, conhecido como Gaguinho, ex-funcionário da Chrysler. Conheci este carro em 2011 na garagem da casa dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já sei exatamente qual é ...

      O molusco ex-presidente andou muito nesse carro do gaguinho ... kkkkk

      O pior é que é verdade ....

      Abraços

      Excluir
  10. Interessante saber que o Chiquinho ainda tem a oficina´.
    No final da década de 70 meu pai tinha um polara 77´, e como morávamos no Rudge Ramos ele ficou conhecendo o Chiquinho, que ainda trabalhava na Chrysler, e era ele quem fazia a manutenção do carro do meu pai, só a noite ou aos sábados na garagem da casa dele. Muito legal.
    Sobre o Polara recém adquirido, cheguei a vê-lo anunciado no ML a uns meses atrás, mas não tinha idéia da história por trás dele... Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marco,

      Exatamente ele ...
      Para falar a verdade a última vez que eu passei lá faz uns 6 anos ... Mas ele estava firme e forte ... Acredito que ainda esteja lá ...
      Abraços !

      Excluir
    2. Ele está lá sim, inclusive sou primo dele e sempre que possível levo meus carros lá.

      Excluir
  11. Mais uma vez o "Homi" está fazendo historia! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  12. História espetacular!Há anos eu sabia da existência desse carro em Itapira,mas nem imaginava que era o último produzido!Parabéns pela aquisição!

    ResponderExcluir
  13. Estou nesta foto, meu sobrinho que a achou, bons tempos trabalhei de 80 a 87 e relembrei de muitos amigos, nesta foto, sou o primeiro da direita que esta abaixado e nesta época era eletricista, gostaria muito de reencontrar estes amigos, no próximo encontro me comunique, data e local, para que possa me programar, já que atualmente moro em Porto Alegre,
    Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Meu pai comprou um, em 1980. Penúltima série. Antes, teve um 1977, que foi vendido, e cujas parcas lembranças me remetem ao dia em que o comprador foi em casa, com uma mala de dinheiro, e eu impressionantemente, não queria deixar o cara levar o carro embora. Mas, meses depois meu pai comprou o 80, e está com a gente até hoje. Ele fez algumas modificações de ponteiras de escapamento, console, painel de instrumentos do 81, etc, mas o carrinho tá lá. Marrom-iguaçu, motor ainda CABAÇO ( a dupla óleo Shell + Bardahl mostra a que veio), uma troca de carcaça da caixa de câmbio, e ainda tá com a gente.

    Tá meio judiadinho, mas ainda hei de juntar uma grana, e dar-lhe um banho de loja digno.

    Um (bom) pedaço da minha vida tá nesse carrinho. Nem penso em vendê-lo, até porque, lembranças não podem ser vendidas, e uma parte da sua vida , muito menos.

    Curti o blog. Já foi pros favoritos.

    abraço

    Thiago Sabino
    Pirassununga-SP

    ResponderExcluir
  15. Que bom te ver por aqui Thiago.
    Houve 3 Polara que Fizeram parte da minha vida: um 76 prata, lindo, zerado, que um amigo fez pra correr de D1, motor "ajustado" pelo Bruno Brunetti, rebaixado, amortecedores especiais, andava uma barbaridade. O carro ficava guardado na minha casa, e eu usava ele eventualmente, na rua. Fez apenas uma corrida de estreantes, ficou em quarto lugar, e foi vendido. Morri de tristeza de não ter tido bala pra compra-lo. MAs ele deixou tanta saudade que acabei comprando 2 Polaa, em sequencia. O segundo, que comprei em 78, era um 76 GL branco com interior de camurça caramelo, 2 farois. Tinha uns 18 mil km, eu tirei o friso da saia lateral e removi a faixa preta do lado e na traseira. Rebaixei, coloquei radiais, um volante Momo com aro de madeira, um contagiros e um TKR cara preta !!! Usei por 1 ano e troquei por um 78, standard, farois quadrados, beige com interior preto, com 4.500km e cheiro de novo. Também foi rebaixado, recebeu radiais, e contagiros, alem do Momo (dessa vez com aro de courvin preto) e o velho TKR. Adorava esse carro, era uma delicia tocar ele rápido, especialmente subindo e descendo Petropolis nos finais de semana. Esse carro deve ter deixado muito dono de TS aborrecido...rs,rs,rs. Fiquei com ele uns 4 anos: já tinha um TS então, e minha mulher usava e adorava ele. Mas estava ficando podre, e eu acabei vendendo. Tenho saudade dos 3 Polaras, o carrinho era uma delicia de guiar, e era valente.

    Antonio

    ResponderExcluir
  16. Parabéns! Li a sua história na Revista Quatro rodas e depois no blog do Flávio Gomes. Me tira uma dúvida: Quanto a proprietária cobrou pelo carro? Ela sabia que estava com uma jóia rara em casa?

    ResponderExcluir
  17. O câmbio manual mais gostoso que experimentei.

    ResponderExcluir
  18. Tive dois Doginhos, entre 1989 e 1991, o primeiro deles com essa cor, marrom café, ainda com quatro faróis redondos, se me lembro bem. Comprei-o detonado, inclusive de motor, e fui resolvendo aos poucos naquela mecânica Polara, do começo da av. Cruzeiro do Sul, com um mecânico mal-encarado chamado Batista, lembra dele? Depois tive um amarelo-gema (sabe o nome oficial da cor?) que fazia sucesso na rua, redondo! Por isso tenho um carinho especial por esse carro. Quando (raramente) vejo um na rua, paro para reflexões... Vi essa matéria através do Blog do F. Gomes. Meu caro: PARABÉNS! E obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ET.: o Unknown acima sou eu, Eduardo Britto, 51 anos. paulistano.

      Excluir
  19. Devido ao meu coração de historiador e por causa da minha paixão por carros antigos, eu fiquei fascinado por esta história, é bom saber que há um museu como este no Brasil. Parabéns e obrigado pelo o que tem feito!

    ResponderExcluir
  20. O carro conceito que inventou a "tal" de injeção. Tive um polara 1990 , painel com detalhes de madeira e nas portas tb, e vidro verde degredê e pintura ciza azulado metalico. um carro com direção boa, e cambio um dos melhores, e acelerador grande curso. Marcha lente ronc ronc kkkkkkkkk.

    ResponderExcluir
  21. Muito lindo esta "garimpagem dogística" !! São atitudes como esta que mantém a memória automobilística brasileira viva, vivíssima aliás...Quem viveu sabe, quem aprendeu a vive-la também sabe... Abraços

    ResponderExcluir
  22. Bom dia ! estou precisando da tinta cor castanho araguaia do dorginho 76 , alguem pode de indicar quem possa faser esta tinta . obrigado.

    ResponderExcluir
  23. Meus parabéns! Demorou mas deu certo!

    ResponderExcluir
  24. Parabéns pela busca que deve deixar muito repórter investigativo com inveja. Esses são os Carros com Alma que um dia tivemos no Brasil, diferente dos corsinhas, celtinhas, uninhos, palios e golzinhos de hoje. Nota 1000 pra você BADOlato...

    ResponderExcluir
  25. puxa, sou de Itapira e lembro desse doginho marrom aqui na cidade, nem imaginava que ele tinha uma história peculiar...

    ResponderExcluir