Siga por e-mail

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Dodge 1800 1975 LX-9 e Dodge D700 bombeiro 1977

Caros,

Pegando carona no post do Polara bala toffee, seguem duas fotos do 1800 1975, com a funilaria bem avançada:



Não vejo a hora de ver ele preto de novo ...

O caminhão bombeiro D700 teve a cabine retirada, raspada e está sendo preparada para pintura ...






Logo vai estar vermelho de novo.

Abraços,

Badolato


terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O "ultimo" Dodge Polara

Caros,

Segue mais uma história pitoresca de arqueologia dodgística ... rss ...

Para quem leu meu primeiro livro, "Dodge - História de uma Coleção", em um dos capítulos eu falo sobre a busca obsessiva pelo último Dodge fabricado .... Nessa busca, que durou 16 anos, em um determinado momento, em um encontro de ex-funcionários da Chrysler, descobrimos um senhor, Fausto, que teria a foto do último Dodge produzido ... Ele se lembrava perfeitamente do dia em que sairam chamando o pessoal para a linha de montagem, para fazer a foto do último carro ....

O estranho é que essa foto, oficial, nunca foi publicada ... Nem pela imprensa da época, nem pelas revistas de automóveis antigos decadas depois, nada ... A foto permanecia absolutamente inédita .... Para completar a dificuldade o Fausto morava no interior, em um trailler, e precisava achar a foto ...

Confesso que minhas esperanças de ver a foto eram menores a cada dia que passava, até que um dia o Lincoln me liga, dizendo que o Fausto tinha mandado as fotos !!

As fotos ???? Sim, as fotos ... Eram duas ... A do "ultimo" Dodjão e a do "último" Dodginho ... Porque o último entre aspas ?

Porque os Dodges tinham o número de chassi pintado em numeros grandes no canto superior direito do parabrisas. O Dodjão era um Le Baron cinza chumbo, chassi 92.994 ... E o Dodginho era um marrom café chassi 94.184 ...

Oras, se a gente conhecia alguns Dodjões com chassi 93.xxx e alguns Dodginhos 94.2xx, como aqueles poderiam ser os últimos ???

Duas explicações possíveis e eventualmente complementares:

a) Talvez chamaram os funcionários para fazer a última foto quando estavam encerrando a linha, e pegaram dois carros aleatórios que lá estivessem, para fazer uma foto simbólica

b) É sabido por muitos, inclusive conversei bastante sobre isso com o responsável por cuidar do caso, que os últimos Dodginhos não foram montados na linha de montagem. O Chiquinho, ex-funcionário da Chrysler que há muito anos mantém uma oficina em uma travessa da Av Caminho do Mar, em São Bernardo do Campo, era o responsável por cuidar do galpão onde os últimos Dodginhos foram montados. A linha de montagem tinha que ser desocupada para ser adequada a montagem dos primeiros caminhões VW, e, segundo relatos, um número de Dodginhos foram montados nesse galpão.

Fato é que conhecemos 14 Dodjões com número de chassi acima do Le Baron "ultimo" e 26 Dodginhos ....

Mas voltando às fotos ....

A primeira, do Le Baron, publiquei em meu primeiro livro. A segunda, absolutamente inédita, é esta:


No canto superior direito do parabrisas está o número 94.184 .... Ah, e o Fausto é o de óculos e blusa bege, cobrindo uma gravata, o segundo do lado do passageiro do Dodginho.

Bom, de posse destas fotos fui atrás do paradeiro dos carros. Isso em 2006. O Le Baron, por uma coincidência inacreditável teve como último endereço uma casa a poucos km da casa da minha mãe. Toquei a campainha lá várias vezes, mas a casa estava desocupada. O último licenciamento do Le Baron foi em 1995, o que me faz acreditar que o carro muito muito provavelmente não exista mais.

Também, com menos ímpeto, fui atrás do Dodginho. Esse foi fácil. Estava licenciado e constava como endereço a cidade de Itapira - SP, coincidentemente também perto de um dos meus endereços ... Estava em nome de uma mulher. Fiquei de ir lá um dia atrás do carro. Mas o fato é que o tempo foi se passando, se passaram 7 anos e eu não fui atrás do Dodginho ....

Até que no final do ano passado, fuçando os anúncios de Dodge na internet, achei um Dodginho 81 marrom café anunciado em Itapira ! Só poderia ser ele ....

Fui viajar, ano novo, etc ... Na volta lembrei do carrinho ... Alguns telefonemas depois fiquei sabendo que a única proprietária do carro comprou ele na fábrica, com isenção de impostos pois era portadora de alguma deficiência física. O carro foi entregue pela concessionária Marka de Campinas alguns dias depois e levado para Itapira. E de Itapira nunca mais saiu ...

Tinha que resolver algumas coisas na região ontem e aproveitei para ir ver o carrinho ... Abri o capô e lá estava a plaqueta B094184 ... Era o carrinho da foto .... 


O carro tem 52.000 km, pintura toda de fábrica, vários pequenos defeitinhos lá e cá ... Mas muito íntegro ... Ainda tem os pneus diagonais ... O único pênalti realmente chato é que há apenas um anos atrás mandaram trocar a forração dos bancos, cujo bege claro deveria estar encardido ... As laterais de porta permanecem originais e zero !






Depois de uma negociação muito difícil, chegamos um acordo e essa pequena bala toffee vai para o Museu ... 

Legal demais ver um carro que a gente tem a foto dele na linha de montagem ... Esse sobreviveu ....



Na próxima reunião dos ex-funcionários seria legal levar o carro e fotografar ele com uns 3-4 dessa foto que frequentam os encontros !

Abraços,

Badolato



  

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Esplanada GTX vermelho indianápolis ... Update da restauração ...

Não me esqueço do dia que fui comprar essa GTX vermelho indianápolis. Eu estava com caxumba, de molho em casa, com recomendação expressa de não sair de casa sob risco da caxumba descer, sabe se lá para onde ...

Mas a ligação do Paulo dizendo que a GTX estava a venda me fez desobedecer a ordem médica ... Afinal desde que havia visto aquele "carro" meses antes, estava louco para adquiri-lo.

Coloquei carro entre aspas pois não havia sido exatamente um carro que encontrei na oficina quando cheguei. Ao contrário da vez que havia visto ele anteriormente, a GTX estava desmontada pois o dono havia começado a fazer uma reforma que há anos estava ensaiando.

Acredite: nessa foto tem um GTX ! Procure direito ...

O dono do GTX tinha comprado o carro em 1971. No final da decada de 70 ele fez uma primeira reforma no carro e enquanto reformava o GTX comprou um Esplanada 68 azul para usar .... Quando o GTX ficou pronto ele não tinha lugar para guardar o Esplanada e ... desmontou o carro e guardou as peças em casa. Dá para imagina o que ele tinha de peças sobressalentes, não ? Motor Emi Sul eram 3, o do carro, o do Esplanada 68 e mais um desmontado para peças ....  

GTX em início de "reforma" na oficina do ex-dono

Fechei a compra do carro e voltei para casa, esperando que a caxumba estivesse ainda no lugar dela ... Tinha combinado que o antigo dono (não me lembro o nome dele, José talvez ....) iria juntar tudo o que tinha do carro e que em 2 semanas iríamos buscar tudo ...

15 dias depois o carro foi para a nossa oficina, direto, sem escalas ...

O sr. José (o nosso, não o dono do carro), fez a funilaria do carro. Conseguimos uma porta traseira 0km para substituir uma que estava feia ... Depois o carro foi pintado e começamos a montagem.

Esses Esplanadas são mais complicados do que os Dodges para montar. As peças são raras, tudo é mais complicado ... O resultado é que outros carros foram saindo da oficina e o GTX ficando. Cheguei a alugar um pequeno salão perto da oficina para o GTX ficar sendo montado e não atrapalhar o andamento dos Dodges ... O resultado disso é que já se passaram uns 5-6 anos desde que o carro chegou. Mas agora está na reta final .... Hoje o Jeferson colocou as faixas e fizemos as fotos abaixo:





O motor do carro foi feito pelo Guedes, último expert em Emi Sul que eu conheço, e já está redondo, 0km.


Agora falta pouco ... Montar os frisos da traseira:


E o interior ... O interior precisa ser caprichado para honrar um dos interiores mais bonitos da indústria automobilística brasileira até hoje:
 

Colocando as fotos aqui no blog, vi que o ângulo de duas delas estão bem parecidos. Não vou resistir então a fazer um "Antes e Depois":

                            

Por hora é isso ...

Abraços,

Badolato


segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Feliz 2014, 4 anos de Blog e algumas atualizações ...

Caros,

Primeiramente Feliz 2014 para todos nós !!! A batalha pelo Universo Mopar continua !!! kkkkkk

Ontem este blog fez 4 anos ! Parabéns para ele ... Não anda numa fase de muita assiduidade, mas aqui estamos, firmes, rígidos e fortes !! Obrigado ao leitor Lucas Vasconcelos que me lembrou disso ontem ... Aliás era aniversário dele também, então parabéns pra ele !!!!

Bom, chega de parabéns e vamos às atualizações das restaurações:

1) Dodge D700 bombeiro

O nosso bombeiro teve os pontos de funilaria feitos, que eram bem poucos .. O caminhão é zero e virgem, apenas torrou no sol ... Vejam esta foto dele, digamos, pelado ...

Dodge D700 na lata

E não é que o Orlandini encontrou um parachoque novo original, NOS como dizem os americanos (NOS = New Old Stock, peça nova de estoque antigo) ... Que gostoso por peça zero de época nas restaurações !

Parachoques 0km Mopar NOS Mega Blaster Millenium ...

E já que estamos falando dos pesos pesados, seguem 2 fotos muito legais que me mandaram esses dias:

A primeira é de uma caminhão Dodge da Petrobrás, ainda dá para ver o logo antigo na lateral. Quem me mandou essa foto foi o Pedrão Mopar Horn. Não sei onde está o caminhão, nem de quem é ... Mas sei que ficaria lindo restaurado do lado do bombeiro !!!

O Petróleo é Nosso !!!


A segunda foto foi tirada há um mês atrás pelo meu tio Paulo no Uruguai. O D900 trabalhando firme e forte, ignorando o passar do tempo, como se estivesse em plenos anos 70 !!!

Meu nome é Trabalho !


2) Dodge D-100 Cabine Dupla (a outra)

Continuando na família dos utilitários, a nossa D100 cabine dupla standard foi para a oficina do Orlandini. Só para lembrar, a D100 cabine dupla verde que já mostrei várias vezes neste blog, é uma Luxo e foi encontrada em excelentes condições, parcialmente desmontada e há muito tempo parada .. Foi restaurada e ficou linda ...

Quando coloquei as fotos dela aqui, apareceu uma outra, no sul de MG. Comecei então a trocar e-mails com o dono dela. Ela ainda estava trabalhando, tinha uma estrutura muito boa, mas tinha podres e estava como motor diesel ...

Bem .... Já que ela não tinha mais o motor original, me permiti voltar ela para a alma V8, porém separei para ela um motor um pouco maior ... Ela vai ganhar um motor 440, que vai sumir no imenso cofre dela. O resto será absolutamente original ... Só um pouco mais de histamina e testosterona ... kkkk

Bom, se a verde não teve praticamente funilaria a fazer, essa teve ... Toda a parte de assoalho, caixas estava muito judiada ... O João, funileiro que trabalha com os Orlandini, já tinha feito as peças, mas antes de colocá-las na D100 resolvemos trazer a verde como gabarito ... Dessa forma ficará tudo absolutamente no padrão de fábrica ....

Seguem algumas fotos:

Funilaria andando bem ...

A verde na oficina para servir de gabarito

A cena insólita: duas D100 cabine dupla 1971, lado a lado ...


3) Dodge SE 1975 e Charger R/T 1980

Bom, vamos voltar para os automóveis. O Matheus, que me ajuda com as montagens, está montando os SE 75 e o RT 80 no novo espaço, lado a lado ...
Os periféricos estão sendo montados para os motores, que já estão prontos, então irem para o cofre. Aí é montar interior e pronto ...
Ainda me falta um jogo de bancos de SE ... Pode ser só as carcaças, já consegui um material excelente para forrar eles ... Em breve eu conto aqui .... Quem tiver um par de bancos dianteiros, por favor !!

Fotos:

Outra cena rara: SE 75 e R/T 80 ...

Dois carros há muito tempo parados (ambos com placas amarelas) que voltam a rodar em 2014

De matar não ???



Bom, era isso ! Voltem pois ainda essa semana vou colocar o update da Esplanada GTX vermelha e a história de um SE 73 muito especial ...

Abraços,

Badolato